Audiência Pública promove encaminhamentos para acessibilidade e inclusão social em Cabrália.

Na manhã desta quinta-feira (30), a Câmara Municipal de Santa Cruz Cabrália recebeu, no Salão Azul, a 1ª Audiência Pública realizada em Santa Cruz Cabrália para debater a questão da Acessibilidade e Inclusão Social de Pessoas com Necessidades Especiais da história do município.

 

Segundo texto lido na abertura da audiência “Ao longo dos últimos meses do primeiro ano desta legislatura, esta Casa tem recebido encaminhamentos e participações populares, entendendo as necessidades e buscando novas perspectivas às Pessoas Com Deficiência e/ou com mobilidade reduzida, nos logradouros, órgãos públicos, praças, escolas, igrejas, casas de shows, hotéis, vias públicas, clubes, lojas, entre outros. A adequação dos espaços físicos, a remoção das barreiras arquitetônicas e o direito de ir e vir devem ser resguardados em nossa cidade.”

 

O evento, que foi presidido pelo Vice-Presidente da Câmara, o Vereador Josué Sampaio (PSD) contou com a presença expressiva de pais, estudantes, membros da sociedade civil organizada, terceiro setor, além dos Secretários Municipais: Márcia Quaresma (Saúde), Ana Paula Guerriere (Educação), Euclides Sena (Meio Ambiente) ,representantes da Secretaria de Assistência Social, e os Vereadores Cláudio Alexandre (Xêpa) (PV), Humbertinho (PSD), Indiara Passos (PDT), Luciano Monteiro (PSL) e Neném Abreu (PODEMOS).

 

Compôs a mesa a Professora Luciene Oliveira, presidente da Associação Fábrica do Ser e do Conselho Municipal em Defesa das Pessoas Portadoras de Necessidades Especiais da cidade de Porto Seguro, e ainda a senhora Andreia de Lima, representante das mães de crianças Portadoras de Necessidades Especiais de Santa Cruz Cabrália e integrante da Ouvidoria Cidadã da Defensoria Pública do Estado da Bahia.

 

Ao final da audiência Luciene Oliveira agradeceu a oportunidade dada pela realização da audiência e ressaltou que o objetivo de sua ONG é exatamente o de promover o empoderamento de pais de crianças Portadoras de Necessidades Especiais, e que o objetivo da Audiência não é culpar os governantes, mas apontar o que pode ser feito para melhorar a realidade do município.

 

Segundo dados do IBGE(2010), cerca de 3,5 milhões de baianos sofre com algum tipo de deficiência visual, auditiva, motora ou intelectual.

 

Próximos passos

 

Após o encerramento da sessão, está sendo elaborada uma Ata técnica, na qual constarão todos os encaminhamentos e questionamentos presentes na Audiência, tal ata será assinada e publicada em diário oficial, anexando-se a ela a lista de presença, encaminhamentos posteriores poderão ser feitos a partir de então.


Comentários


Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!
Você precisa estar logado para comentar!